Operação Castelos a Norte


Designação do Projeto | Castelos a Norte
Código do Projeto | NORTE-04-2114-FEDER-000054
Objetivo Principal | A conservação, proteção, promoção e o desenvolvimento do património natural e cultural
Região de Intervenção | Norte 
Entidade Beneficiária | Direção Regional de Cultura do Norte, Município de Montalegre e Município de Miranda do Douro

Data de Aprovação | 25.05.2016
Data de Início | 04.11.2016
Data de Conclusão |
Custo Total Elegível | 2 372 897,49 €
Apoio Financeiro da União Europeia | 2 016 962,87 €
Apoio Financeiro Público Nacional/Regional | 355 934,62 €

Objetivos, atividades e resultados esperados/atingidos 

Os castelos candidatos a esta operação, classificados seja como Monumentos Nacionais, seja como Imóveis de Interesse Público, estão integrados num legado da arquitetura militar da Região Norte que importa valorizar e divulgar. 

Apesar de alguns destes castelos já terem sido objeto de estudos e ações de conservação ao nível do edificado, dada a natureza e complexidade das intervenções, é importante dar continuidade à reabilitação do edificado, assim como incrementar, nas suas várias vertentes, a sua promoção e dinamização. Inserindo-se, alguns, na malha urbana das atuais sedes de concelho, mormente os casos do Castelo de Montalegre, do Castelo de Mogadouro e do Castelo de Miranda do Douro, ou integrados na paisagem rural, como é a situação do Castelo de Monforte e do Castelo de Outeiro, o seu destaque na paisagem confere-lhes um caráter impar que permite assumirem-se como marca identitária no território onde se integram. 

Os 5 castelos constituem um relevante legado da arquitetura militar, em termos do património de fronteira da Região Norte. Com o intuito de divulgar e dinamizar estes monumentos, é necessário um conjunto de intervenções materiais/imateriais que potenciem a fruição de cada castelo e promovam esta rede patrimonial. Pretende-se que estas ações desenvolvam novas dinâmicas, seja com a comunidade local, com a região, seja e com o visitante forâneo.

Os castelos integrantes desta candidatura são propriedade do Estado e são geridos pela Direção Regional de Cultura do Norte, tendo sido alvo de diversos estudos históricos, escavações arqueológicas, diagnósticos estruturais e ações de restauro das estruturas edificadas. No entanto, dada a contenção orçamental dos últimos anos, os castelos apresentam diferentes evoluções. Pese embora todos estes castelos se encontrarem abertos à visita pública, não possuem o mesmo estado de desenvolvimento das condições de acessibilidade e qualificação das condições da sua fruição. Verifica-se que o Castelo de Montalegre, o Castelo de Miranda do Douro e o Castelo de Mogadouro apresentam uma maior dignidade na sua conservação estrutural, face a anteriores intervenções promovidas pelo IPPC / IPPAR / DRCN, requerendo, contudo, uma melhoria nos circuitos de visita e de qualificação da informação a proporcionar aos visitantes, através da disponibilização, em diferentes suportes, de soluções comunicacionais que constituam um factor uma fruição mais atrativa e enriquecedora. O Castelo de Monforte e o Castelo de Outeiro ainda apresentam carências significativas em termos da reabilitação das suas estruturas construtivas, tendo alguns sectores a necessitar de intervenção de reabilitação urgente, assim como dotar alguns circuitos de visita das necessárias condições de segurança aos utentes. Para além deste tipo de intervenção, o projeto contempla, tal, como nos restantes monumentos que integram esta Operação, a disponibilização ao visitante de informação que contextualize cada monumento per si e no âmbito da rede a criar.