Operação Vale do Varosa II


Designação do Projeto | Vale do Varosa II
Código do Projeto | NORTE-04-2114-FEDER-000341
Objetivo Principal |  A conservação, proteção, promoção e o desenvolvimento do património natural e cultural
Região de Intervenção | Norte 
Entidade Beneficiária | Direção Regional de Cultura do Norte 

Data de Aprovação | 13.04.2017
Data de Início | 04.05.2017
Data de Conclusão |
Custo Total Elegível | 1 989 226,40 € 
Apoio Financeiro da União Europeia | 1 690 842,44 €
Apoio Financeiro Público Nacional/Regional | 298 383,96 € 

Objetivos, atividades e resultados esperados/atingidos 

Da responsabilidade da Direção Regional de Cultura do Norte, o projeto Vale do Varosa tem por conceito a instalação de uma Rede de Monumentos no vale homónimo, abrangendo os concelhos de Tarouca e de Lamego, numa estratégia integrada a nível regional beneficiando de uma elevada concentração de imóveis e elementos históricos de elevado interesse turístico-cultural, permitindo otimizar investimentos e potenciar um desenvolvimento turístico de conjunto.

Contando no seu arranque com financiamento ON2, a sua execução iniciou-se em 2009, incluindo na primeira fase a recuperação parcial e abertura ao público do Mosteiro de São João de Tarouca, Mosteiro de Santa Maria de Salzedas e Convento de Santo António de Ferreirim, enquanto imóveis históricos de enorme valor identitário, artístico e patrimonial, e como tal, de elevado potencial turístico.

Pretendeu-se que aos valores identitário e patrimonial se juntasse o valor económico, pelas oportunidades de negócio e desenvolvimento de emprego local e o valor social pela melhoria da qualidade de vida das populações. Pela sua proximidade ao Douro Património da Humanidade; ligação histórica ao Douro vinhateiro; e elevada concentração de pontos de visita histórica, este território tem potencialidades únicas que o levam já a constituir-se como um produto cultural essencial à atividade dos operadores turísticos em torno do eixo fluvial do Douro, permitindo conteúdos de visita de elevada qualidade e diversidade, tendo sido esta uma das principais metas do projeto: Valorizar os bens patrimoniais âncora da região procurando disponibilizar aos agentes turísticos pontos de visita devidamente estruturados, incluindo receção, auditório e centro interpretativo; materiais de divulgação e apoio à visita; e guias especializados.

Tendo os objetivos iniciais do projeto sido atingidos com a conclusão da candidatura apresentada ao programa ON2, justifica-se agora numa segunda fase do projeto a sua continuação, consolidação, alargamento e melhoria através de um conjunto de ações criteriosamente pensadas, visando o alargamento das áreas de visita já abertas ao público; a integração de novos elementos patrimoniais nos percursos de visita já estruturados; o aumento da diversidade de elementos e temáticas de visita; o alargamento da rede a novos monumentos de elevado valor patrimonial; e o reforço da comunicação/divulgação do projeto com vista ao aumento do número de visitantes e operadores turísticos que integrem a rede nos seus pacotes turísticos.

Pretende-se com esta nova operação o alargamento das áreas de visita; integração de novos elementos patrimoniais nos percursos de visita; e aumento da diversidade de elementos e temáticas de visitado nos monumentos Mosteiro de São João de Tarouca, Mosteiro de Santa Maria de Salzedas e Convento de Santo António de Ferreirim, já integrados na rede e intervencionados na primeira fase.

O alargamento da rede a novos monumentos de elevado valor patrimonial será materializado através da intervenção na Ponte Fortificada de Ucanha, já incluída na rede desde 2014 em termos de visitas guiadas, mas que se pretende agora salvaguardar e reabilitar, em resposta à sua acelerada degradação, e assim, melhorar as condições e qualidade visita deste Monumento Nacional único em termos nacionais.