Notícias
07 Nov. 2018 Exposição de Desenho e Pintura de Ana Loureiro A Casa das Artes acolhe a Exposição de Desenho e Pintura de Ana Loureiro, até 31 dezembro. Entrada livre. Evento
"Primeiro, o gosto pelo desenho.

O tempo passado em França, em Besançon, determinou a necessidade de aprofundar o conhecimento da cultura do País através da descoberta de dois grandes escritores franceses: Sidonie-Gabrielle Colette (1873 – 1954), oriunda da Borgonha, e Victor Hugo (1802 – 1885), do «Franche-Comté» – o Grande Este Francês ligado à Fundação de Portugal.

A dimensão ativa da perceção, enquanto abertura ao mundo vivenciado, permite o enraizamento no mundo vivido – o corpo desperta a consciência. Esta ligação articula as dimensões da história e das intersubjetividades que a artista trabalha para as tornar inteligíveis – a corporalidade da consciência através da expressão da autora, aliada ao sentido que coloca nas obras. A partir da representação estabelece o contacto com os escritores – a História, a Matéria-Corpo e o Pensamento – associados à cultura à qual pertencem. O Corpo, o centro de onde partem as distâncias e direções, a ligação ao mundo que se estabelece através dos sentidos e da procura de Ana Loureiro. A busca da sinergia dos diferentes corpos, de épocas diferentes, mas com uma base comum: a cultura.

No processo, a consciência de que os escritores são indissociáveis da época e do meio em que viveram e das dificuldades que vivenciaram, assim como a sua representação depende da visão/perceção da artista que os representa, na atualidade: o oceano infinito do Tempo no pensamento do Ser Humano que, através do tato, procura alcançar o reconhecimento da matéria que o tempo e as circunstâncias lhe negaram. 

Assim, a aproximação dos sentidos aos objetos de representação, através do tátil e da visão, permite à artista estabelecer os laços afetivos com os modelos, motivo pelo qual a perceção da Sidonie-Gabrielle Colette, assim como do Victor Hugo, jamais poderá ser separada da artista que os percecionou. 

Espero que esta exposição represente para o visitante uma viagem pelos sentidos e pelo passado e a sentir, talvez... a aproximação".

Ana Loureiro