Notícias
25 Jun. 2019 Obras de Abel Cardoso doadas ao Museu de Alberto Sampaio Várias obras do pintor vimaranense Abel Cardoso acabam de ser doadas ao Museu de Alberto Sampaio pelo sobrinho e afilhado Paulo Diogo Matos Cardoso. São treze pinturas a óleo que representam, sobretudo, paisagens e retratos e que serão, futuramente, dadas a conhecer ao público. Evento
Considerado um dos maiores paisagistas da sua geração, Abel de Vasconcelos Cardoso (1877-1964) estudou Belas Artes no Porto, onde foi discípulo de Marques de Oliveira, João Correia, Marques Guimarães e António Sardinha. Em 1896, com apenas 19 anos, parte para Paris onde é admitido na École Nationale de Beaux-Arts, sendo discípulo de Jean-Léon Gérôme. Depois de uma temporada no Brasil onde tentou a sorte como artista, volta a Portugal, tendo sido professor de Desenho no Liceu de Guimarães e diretor da Escola Comercial e Industrial Francisco de Holanda. Ao longo da vida lecionou ainda em Lisboa.

Enquanto artista, expôs no Porto e em Lisboa, aventurando-se em 1926 a mostrar o seu trabalho na terra natal. São, aliás, de sua autoria as decorações a fresco dos nichos da fachada do edifício da Sociedade Martins Sarmento, entidade para cuja secção de Arte Moderna e Contemporânea muito contribuiu e que guarda parte do seu espólio.

Elogiado por muitos, é descrito por Raul Brandão como ‘um pintor regionalista e um poeta’ que ‘ama e pinta a província onde nasceu’. Já o jornal lisboeta ‘O Século’ descreve-o em 1924 como um ‘artista probo, de uma correção notável, sincero e emotivo’.

Nascido na Rua de Santa Maria em Guimarães, Abel Cardoso passou os últimos anos de vida na freguesia vimaranense de Gondomar, onde hoje dá nome a uma rua. Quanto à sua obra, encontra-se dispersa um pouco por todo o país, entre museus e coleções particulares.