Notícias
14 Jul. 2017 Programa Revive em Vila do Conde Decorreu, no Mosteiro de Santa Clara, em Vila do Conde, a sessão de assinatura do memorando de entendimento do programa Revive, entre o Estado Português e o Município de Vila do Conde, para o processo de posterior reabilitação daquele monumento. Evento
O documento foi assinado presencialmente pelo Presidente do Turismo de Portugal, Dr. Luís Araújo, pelo Vice-Presidente da Agência Portuguesa do Ambiente, Dr. António Sequeira Ribeiro, e pelo Diretor Regional de Cultura do Norte, Dr. António Ponte. Além dos organismos atrás referidos, o documento foi previamente assinado pela Direção Geral do Tesouro e Finanças e Direção Geral do Patromónio Cultural.


Sobre o Mosteiro de Santa Clara

O Mosteiro de Santa Clara de Vila do Conde foi fundado por D. Afonso Sanches (filho bastardo de D. Dinis) e sua esposa, D. Teresa Martins, pela carta régia de sete de Maio de 1318. Segundo Monsenhor José A. Ferreira, D. Afonso Sanches e D. Teresa Martins terão passado por Vila do Conde quando regressavam de uma romaria a S. Tiago de Compostela e, "ou por [devoção] imitação da Rainha Santa Isabel, que no ano anterior tinha fundado em Coimbra o Mosteiro de Santa Clara, ou por devoção e sympathia para com esta Ordem (...), edificou e dotou n'esta sua villa outro Mosteiro da mesma Ordem". No entanto, parece que D. Dinis envolveu-se bastante na origem e proteção do dito Mosteiro, quanto mais não fosse para mostrar à Rainha D. Isabel a sua autoridade e poder. De facto, o auxílio prestado por D. Dinis ao seu filho bastardo foi precioso: a três de Janeiro de 1319, el-rei dispensa o Mosteiro de Vila do Conde do cumprimento de uma lei por ele mesmo decretada, lei essa que proibia aos Conventos adquirirem bens de raiz e ficarem com as heranças dos que neles entrassem. Por isso, o Mosteiro de Santa Clara de Vila do Conde foi uma das casas monásticas mais famosas entre as maiores e mais ricas da Península.