Igreja do Salvador de Paço de Sousa
  • Igreja do Salvador de Paço de Sousa (© Digisfera | Rota do Românico)
  • Igreja do Salvador de Paço de Sousa (© R. Sousa Santos | Rota do Românico)
  • Igreja do Salvador de Paço de Sousa (© R. Sousa Santos | Rota do Românico)
  • Igreja do Salvador de Paço de Sousa (© R. Sousa Santos | Rota do Românico)
  • Igreja do Salvador de Paço de Sousa (© R. Sousa Santos | Rota do Românico)
  • Igreja do Salvador de Paço de Sousa (© R. Sousa Santos | Rota do Românico)
Localização 41.180112 | -8.366549
Largo do Mosteiro 4560-347 Penafiel, Porto
Informação Útil
HorárioVisita mediante marcação prévia.
Contactos
+351 255 810 706/+351 918 116 488 | +351 226 197 0
rotadoromanico@valsousa.pt | dsbc.drcn@culturanorte.pt
O Mosteiro de Paço de Sousa foi fundado no século X por Trutesendo Galindes e sua mulher Anímia. Ligado à família dos Ribadouro, foi um importante mosteiro beneditino. 

A Igreja, edificada no século XIII no mesmo local do templo anterior (século XII), apresenta uma decoração muito própria. Utiliza ornamentação vegetalista talhada a bisel e desenvolve longos frisos no interior e no exterior da Igreja, à maneira da arquitetura visigótica e moçárabe (séculos V-VIII). Terá sido em Paço de Sousa que nasceu uma corrente com base na tradição pré-românica e influenciada por temas oriundos do românico de Coimbra e da sé do Porto, dando origem ao que se designa de "românico nacionalizado”. O plano arquitetónico da Igreja do Salvador de Paço de Sousa obedece à tipologia de templo beneditino de três naves: um corpo tripartido em naves de quatro tramos, separadas por arcos diafragmas e cobertas por teto de madeira; uma cabeceira igualmente tripartida, escalonada, com paredes testeiras redondas, e o interior abobadado.

No interior da igreja, conserva-se o mais importante túmulo românico nacional: o monumento funerário de D. Egas Moniz, aio do rei D. Afonso Henriques, que resulta da junção de duas arcas tumulares: uma dos finais do século XII e outra do século XIII. 

A capela-mor, a sacristia, o claustro e o que resta do edifício monástico datam dos séculos XVII e XVIII. O conjunto recebeu obras de restauro nos séculos XIX (1883 e 1887) e XX (1937-1939). A igreja do Salvador de Paço de Sousa integra a Rota do Românico.

Adaptado de: Rota do Românico.