Mosteiro de São Martinho de Tibães
  • Mosteiro de São Martinho de Tibães
  • Mosteiro de São Martinho de Tibães
  • Mosteiro de São Martinho de Tibães
  • Mosteiro de São Martinho de Tibães
  • Mosteiro de São Martinho de Tibães
  • Mosteiro de São Martinho de Tibães
  • Mosteiro de São Martinho de Tibães
  • Mosteiro de São Martinho de Tibães
  • Mosteiro de São Martinho de Tibães
  • Mosteiro de São Martinho de Tibães
Localização N 41° 33’ 23.71” | W 8° 28’ 46.13”
Rua do Mosteiro nº 59, 4700-565 Mire de Tibães, Braga - Portugal
Informação Útil
Dias de AberturaHorário de verão (abril a outubro): 10h – 19h Horário de inverno (novembro a março): 10h – 18h
HorárioAberto de terça-feira a domingo Encerrado à segunda-feira e nos feriados de 1 de janeiro, domingo de Páscoa, 1 de maio 24 de junho e dia de Natal
Preço
Bilhete normal € 4,00
Bilhete com 50% de desconto 
(estudantes, cartão jovem e a partir dos 65 anos) € 2,00
As visitas guiadas em grupo estão sujeitas a marcação prévia, sendo atempadamente confirmadas, consoante a disponibilidade.  
Contacte-nos de segunda a sexta-feira, das 09h às 17h.

Telefone: 253 622 670 | 253 623 950
Correio eletrónico: msmtibaes@culturanorte.pt / sec.msmt@culturanorte.pt



Cerca Conventual 1,50 €

Isenções
Domingos e feriados até às 14.00h para todos os cidadãos residentes em território nacional, não inibindo a possibilidade da adoção de um Bilhete Especial ('Bilhete Doação'), para os casos em que os visitantes queiram fazer uma doação de qualquer valor.

Os grupos escolares, serão atendidos pelo Serviço Educativo, quando haja marcação prévia por telefone, carta ou outro meio eletrónico.

Bilhetes-Circuito (validade 8 dias)
Mosteiro e Cerca de S. Martinho de Tibães e Museu Alberto Sampaio ou Paço dos Duques, em Guimarães - 10.00€;
Museu D. Diogo de Sousa, Museu dos Biscainhos e Mosteiro de São Martinho de Tibães - 7.00€
Contactos
O Mosteiro de São Martinho de Tibães situa-se na freguesia de Mire de Tibães, no concelho e distrito de Braga. Foi classificado como Imóvel de Interesse Público em 1944, estando afeto à Direção Regional de Cultura do Norte. 
Em finais do século XI, foi fundado o Mosteiro de São Martinho de Tibães, de observância beneditina, no qual os monges seguiam as regras – silêncio, obediência, pobreza, oração e trabalho – prescritas por São Bento de Núrsia. 
Em 1110, os condes D. Henrique e D. Teresa, pais de D. Afonso Henriques, primeiro rei de Portugal, doaram a Tibães as terras adjacentes ao Mosteiro e outorgam-lhe a Carta de Couto.
O Mosteiro cresceu em privilégios e poder até ao século XIV sendo, após o Concílio de Trento, em 1567, escolhido para Casa-mãe da Congregação de São Bento dos Reinos de Portugal, com 22 mosteiros em Portugal e 13 no Brasil. Atingiu o seu máximo esplendor nos séculos XVII e XVIII, após ter sido transformado num dos maiores conjuntos monásticos do Portugal barroco e num importante centro produtor e difusor de culturas e estéticas, lugar de exceção do pensamento e arte portuguesas.
O Mosteiro é constituído pela igreja, alas conventuais e espaço exterior - a cerca. O edifício que hoje existe foi construído ao longo dos séculos XVII, XVIII e XIX. Com uma arquitetura funcional, apresentava nesse tempo uma clara separação entre as áreas de oração, trabalho, lazer, comunicação com o exterior, zonas ocupadas pela comunidade residente e outras, reservadas para o uso como Casa-mãe da Congregação.
Em 1833/ 34, com a extinção das Ordens Religiosas, o Mosteiro foi encerrado, os seus bens inventariados e postos à venda, exceto a igreja, o passal e uma zona conventual que, continuando propriedade do Estado Português, ficaram em uso paroquial.
Em 1986, o Estado Português, perante a degradação e delapidação deste património nas décadas anteriores, adquire-o, iniciando a sua recuperação com estudos, registos e limpezas que viabilizaram os projetos de restauro que se seguiram. 
Mantendo os usos associados à Paróquia de Mire de Tibães, duas novas valências foram implementadas: a cultural, associada ao conceito internacional de Museu Monumento e Jardim Histórico, que permite percorrer, ver e sentir os espaços e os seus tempos; e a de acolhimento, onde a intervenção de recuperação do séc. XXI, adaptou a parte do edifício mais arruinada às necessidades duma comunidade religiosa da Família Missionária Donum Dei, com as valências de hospedaria e do restaurante L’Eau Vive. 

Ler Mais
    Serviço de Educação
    Organiza e executa diversas atividades educativas orientadas para todos os públicos, procurando dar a conhecer o Mosteiro de uma forma lúdica e pedagógica. Tem um programa de atividades onde, mediante marcação, é possível realizar visitas guiadas contextualizando o uso do Mosteiro pelos monges beneditinos, assistir a peças de teatro de marionetas, observar aves e anfíbios ou desfolhar milho nos campos. É possível visitar livremente o Mosteiro com o apoio dos audioguias. 

    Loja
    Funciona no horário do Mosteiro
    Produtos: livros, sabonetes, material didático, réplicas de peças, linhos, produtos da marca Sabores Beneditinos®

    Acessibilidades
    Elevador 
    Sanitário para pessoas com mobilidade reduzida

    Transportes
    Transportes Urbanos de Braga, linhas 50 e 90 
    41o33’29.71” N   |   8o28’41.97”O